Potencial turístico leva Sumé para a Rota do Cariri Cultural

Potencial turístico leva Sumé para a Rota do Cariri Cultural

O município de Sumé, localizado na microrregião do Cariri Ocidental da Paraíba, foi incluído na Rota do Cariri Cultural, pois apresenta um protagonismo no empreendedorismo muito forte que fomenta o desenvolvimento e potencialidades do turismo. É que sua extensão territorial de 833.315 km² apresenta cenários naturais rochosos exuberantes, favorecendo a prática do turismo de aventura. A cidade também se destaca pelo seu patrimônio cultural, expresso nas artes plásticas, cênicas, música, poesia e culinária. Já o artesanato se materializa no artista Bento de Sumé – conhecido internacionalmente por retratar aspectos da fauna em madeiras típicas da região do Cariri.

A chegada do polo da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), por meio do Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido (CDSA), alavancou o desenvolvimento da cidade do ponto de vista econômico, social e do ensino superior. Além disso, o município de Sumé foi contemplado com o curso técnico EAD de turismo do IFPB. “O curso é mais uma ação voltada para o desenvolvimento turístico, tanto de Sumé quanto do território do Cariri”, afirmou Paula da Wêndia, diretora do Departamento de Cultura e Turismo de Sumé. Outro importante ganho para o município foi a instalação da empresa ‘Sumé Geoturismo’ que através do apoio do Sebrae Monteiro, atua em parceria com a gestão municipal no fortalecimento do turismo de aventura.

De acordo com a gestora de turismo o Sebrae Monteiro, Madalena Arruda, existe um plano estratégico de turismo para os municípios incluídos na Rota do Cariri Cultural. “Trabalhamos infraestrutura, governança, capacitações, mão de obra qualificada e divulgação. Mas o principal objetivo da Rota C ltural é estimular o sentimento de pertencimento dos moradores para reconhecerem as potencialidades da cidade. Quando a gente se conecta com a história, a cultura e as belezas naturais fortalecemos o turismo local. A partir disso, divulgamos o destino”, explicou.

A economia baseia-se na agricultura familiar e no funcionalismo público municipal, estadual e federal. Além disso, o município ocupa a 17ª posição entre as cidades mais visitadas, no que se refere à procura de bens e serviços, com destaque nos setores de gênero alimentício e produtos da atividade pecuária, segundo a pesquisa Região das Influências das Cidades (Regic), do IBGE 2018. A produção de umbu e os doces caseiros são pontos fortes da culinária local. Inclusive, é realizado o Festival de Umbu, com o intuito de promover a valorização da fruta e seus derivados.

O município possui um grande potencial de sítios arqueológicos e paleontológicos. A Pedra da Coruja é uma linda formação rochosa que parece ter sido esculpida à mão

Investimentos feitos pelo Governo do Estado

Em julho de 2021, o governador João Azevêdo inaugurou a 7ª unidade do Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba( CBMPB), localizada em Sumé. Esta unidade apresenta posição estratégica, pois irá facilitar a agilidade no atendimento a ocorrências na região.

O município de Sumé possui um grande potencial de sítios arqueológicos e paleontológicos a serem explorados. Tanto é que, a prefeitura de Sumé firmou um convênio com a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), no qual realizará estudos, catalogações, escavações e um trabalho de educação patrimonial com professores e alunos.

A Secretaria de Educação do município de Sumé informou algumas das parcerias instituídas entre o Governo da Paraíba e a prefeitura, entre elas: construção da Escola Técnica Cidadã, no bairro de Mandacaru; construção de uma escola de Ensino Fundamental; convênio para o transporte escolar da rede municipal e estadual; construção de ginásio poliesportivo e reforma e ampliação da Creche Anita Garibaldi.

Cultura

A expressão mais tradicional da música sumeense é a Filarmônica Maestro Antônio Josué de Lima, antiga Sociedade Filarmônica São Tomé, criada em 1926, que continua em atividade. A banda de pífanos, do distrito Pio X, também perpassa gerações.

Outro importante evento cultural é o Festival Zé Marcolino que premia músicas inéditas e autorais dos artistas locais, valorizando a cultura de Sumé nas mais variadas expressões. O festival, que acontece desde 2019 no mês de setembro, tem o intuito de resgatar a memória desse importante compositor.

Apaixonado pelo Nordeste, suas músicas exaltavam o Cariri e seu povo. Segundo informações do recanto das letras, o sonho de Zé Marcolino era conhecer Luiz Gonzaga, até que em 1961,a vida proporcionou esse encontro em Sumé, sua cidade natal.

Ele se interessou por suas canções e o convidou para ir ao Rio de Janeiro, dando origem a uma parceria que originou grandes sucessos da carreira de Luiz Gonzaga, entre eles: Sala de Reboco, Fazenda Cacimba Nova, Pássaro Carão, entre outras grandes composições interpretadas pelo cantor Luiz Gonzaga.

“Zé Marcolino foi uma das figuras mais notáveis da música paraibana que elevou o Nordeste ao reconhecimento nacional”, comentou Paula Wêndia. Acontece também a Mostra Sumé de Cinema uma iniciativa idealizada pela cineasta sumeense Ana Célia Gomes – que visa a democratização do acesso à produção audiovisual.

Filho ilustre

O pintor, escultor e poeta Miguel Guilherme dos Santos representa o maior nome nas artes plásticas do Cariri. Autodidata, Miguel não frequentou escolas especializadas em artes, estudandoapenas seis meses de sua vida. Segundo informações do site Paraíba Criativa, suas pinturas retratavam a vida cotidiana no Cariri como fazendas, animais, vegetação e a rotina do sertanejo, incluindo pequenos versos e sua autoria. Sua obra também possuía elementos da arte sacra, retratando figuras divinas em templos católicos nos estados da Paraíba e Pernambuco.

O artista explorava muito a justaposição de texto e imagem, sendo esta uma das principais características de suas obras. Miguel Guilherme morreu aos 93 anos de idade, em 1995. No ano de 2009 o campus da UFCG em Sumé foi batizado em sua homenagem. Em 2010 foi gravado um curta-metragem intitulado ‘Menino Artífice’ contando a trajetória de Miguel Guilherme. Em 2017, os painéis pictóricos existentes na Igreja São Sebastião e o painel exposto no bufê da Praça Adolfo Mayer, l calizados em Sumé, foram tombados como Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba.

Informações gerais

A palavra Sumé na língua indígena significa personagem misterioso que pratica o bem e ensina a cultivar a terra. No espírito religioso dos catequizadores identifica São Tomé.

Segundo informações do site da Prefeitura de Sumé, o povoamento aconteceu em 1903, por Manoel Augusto de Araújo, na confluência do Rio Sucuru com o Riacho São Tomé.

A divisão administrativa de 1911 integrou o município de Alagoa do Monteiro ao distrito São Tomé, atual município de Sumé. Sua emancipação política ocorreu no dia 8 de novembro de 1951, logo a cidade tem 70 anos de existência.