Obesofobia: medo de engordar tem nome e é perigoso

Obesofobia: medo de engordar tem nome e é perigoso

Esforçar-se para manter um peso corporal saudável é normal. No entanto, o medo de engordar, quando excessivo, pode indicar uma condição de saúde mental denominada obesofobia.

Com informações do “Healthline”, entenda como a obesofobia pode prejudicar sua saúde e como tratá-la.

O que é obesofobia?

Trata-se de um tipo de transtorno de ansiedade que, apesar de ser mais prevalente em adolescentes do sexo feminino, pode acometer pessoas de todos os gêneros e idades.

Em pessoas com obesofobia, um senso de ansiedade exacerbado ocorre ao pensar ou falar sobre ganhar peso, bem como estar perto de uma balança ou situações semelhantes. A condição pode ser reflexo de transtornos alimentares.

Sintomas de obesofobia:

• Medo intenso e avassalador de engordar;

• Ansiedade;

 Estresse;

• Ataques de pânico;

• Pressão alta;

• Tontura.

Os mesmos sentimentos são vivenciados ao experimentar ganho de peso ou participar de situações como eventos sociais com comida. Além disso, pessoas com obesofobia podem adotar atitudes como:

• Jejuar;

• Contar calorias obsessivamente;

• Exercitar-se em excesso;

• Realizar dietas frequentemente.

Riscos da obesofobia

A preocupação doentia com peso e imagem corporal pode levar a transtornos alimentares como:

Anorexia nervosa

Apresentando sintomas como magreza excessiva, distorção de imagem e restrição extrema de alimentos, a anorexia nervosa é uma forma de lidar com condições emocionais e pode levar, inclusive, à falência múltipla de órgãos.

Bulimia nervosa 

bulimia nervosa é caracterizada por episódios de compulsão alimentar seguidos por métodos de compensação como vômito induzido, jejum e uso de diuréticos e laxantes.

Métodos de compensação

A obesofobia pode levar aos métodos de compensação indicados na bulimia, mas sem episódios de compulsão alimentar.

Diagnóstico e tratamento de obesofobia

Não existem exames que possam identificar a condição, e seu diagnóstico é feito de forma clínica por um profissional da saúde mental.

O tratamento também é feito por profissionais como psiquiatras e psicólogos, e envolve gerenciar o medo de ganhar peso para reduzir o risco de transtornos alimentares. Nesse período, a psicoterapia é essencial, e medicamentos antidepressivosantipsicóticos estabilizadores de humor também podem ser prescritos.

Fonte:  ISTOÉ