Projeto usa dispositivos móveis para ajudar crianças com autismo a falar

Projeto usa dispositivos móveis para ajudar crianças com autismo a falar

O Transtorno do Espectro Autista (TEA, popularmente conhecido como autismo) pode gerar dificuldade de linguagem e de comunicação moderada e grave, e foi com isso em mente que uma professora da UERJ passou a utilizar dispositivos móveis como tablets e iPads para ajudar as crianças diagnosticadas com TEA a organizar a fala.

O programa inclui aplicativos educativos com sistema de imagens e voz, especialmente direcionados para crianças no espectro. Esses aplicativos visam ensinar às crianças a explorar conteúdos de vocabulário a partir da estruturação de sentenças.

Na prática, o processo inicia-se com a fonoaudiologia. Depois, a criança é atendida por psicopedagogo e, na etapa seguinte, e então por uma atendente terapêutica (aluna de psicologia). Todo o processo de estimulação é gravado em vídeos, diários de campo e acompanhado pelos especialistas que debatem cada avanço nas etapas de intervenção da pesquisa.

Projeto usa dispositivos móveis para ajudar crianças com autismo a falar (Imagem: LightFieldStudios/envato)

O programa liderado pela professora Cátia Walter denomina-se Vamos Conversar, adaptado do programa SPEAKALL!, e utiliza o aplicativo Snap+Core, um auxiliar eletrônico que usa digitalização do discurso para fornecer um modelo verbal de cartões pictográficos ou de fotos selecionados previamente pelos usuários.

Em versões para iPads e computadores, a metodologia prevê o uso de até cinco fotos ou pictogramas que podem ser combinados para criar uma história ou mensagens, seguindo um protocolo já implementado e testado.

Por enquanto, o serviço não está disponível para atendimentos de novas crianças, mas a ideia é que, em breve, mais profissionais de saúde, educação e responsáveis pelas crianças com TEA possam ser trainados para auxiliá-las nas interações sociais. O programa conta com apoio da FAPERJ, por meio do programa de fomento à pesquisa Cientista do Nosso Estado.