Projeto de extensão da UFPB fomenta educação ambiental com ações de limpeza nas praias de João Pessoa

Projeto de extensão da UFPB fomenta educação ambiental com ações de limpeza nas praias de João Pessoa

“Mares Sem Plástico” possui coleção didático-científica com materiais encontrados em ações de limpeza nas praias da Capital

O projeto de extensão “Mares Sem Plástico”, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), tem se destacado, desde sua criação, em 2019, com ações de preservação de ambientes marinhos e costeiros, além de ser uma referência ao apresentar à sociedade o impacto do plástico nesses ecossistemas.

O projeto possui uma coleção didático-científica com materiais encontrados em ações de limpeza de praias, funcionando como ferramenta pedagógica para ações de educação ambiental em escolas e em oficinas de campo.

Nesse processo, os objetos encontrados são limpos, classificados e colocados em recipientes numerados de acordo com as categorias pertencentes ou de uso. São coletados objetos como: bitucas de cigarro, embalagens estrangeiras, brinquedos, produtos de saúde, itens escolares e utensílios domésticos.

A coleção faz parte da Rede Brasileira de Coleção de Lixo Marinho (Re-Colixo) e o acervo está disponível para visitação e empréstimo no Laboratório de Estudos em Química Ambiental – LEQA, localizado no Departamento de Química do Centro de Ciências Exatas e da Natureza (CCEN/UFPB).

O projeto é coordenado pela Profa. Cláudia de Oliveira Cunha, do CCEN. A ação é integrada a uma equipe interdisciplinar com 30 participantes envolvendo docentes, colaboradores e alunos de graduação e pós-graduação.

Nas escolas, o projeto traz a cultura da ciência oceânica para a sala de aula. O objetivo é oferecer a oficina “Guardiões do Mar” para os estudantes por meio de ferramentas educacionais lúdicas, criativas e inovadoras. A iniciativa atua em uma escola municipal, no bairro do Bessa, em parceria com a Secretaria de Educação e Cultura de João Pessoa (Sedec).

Segundo a coordenadora do projeto de extensão, a resposta do trabalho desenvolvido vem por meio de ações contínuas que têm obtido resultados a partir do impacto positivo alcançado pelo projeto. Ela destacou o papel transformador das diversas atividades executadas.

“Além de valorizarmos a sensibilização da sociedade, acreditamos na educação na primeira infância. Também acompanhamos cerca de 70 crianças, de 5 a 12 anos, da comunidade do bairro de São José, com propostas diversas, desde ações educativas externas a atividades internas na associação de moradores”, conta a Profa. Cláudia.

Outras atividades promovidas pelo projeto incluem aulas de campo em praias, pinturas artísticas em galerias pluviais e a instalação de coletores de bitucas em restaurantes e catamarãs em João Pessoa.

O projeto ainda tem gerado resultados produtivos em nível acadêmico pelos trabalhos realizados no LEQA com linhas de pesquisas voltadas ao monitoramento de restinga, avaliação da presença de microplásticos nas praias do litoral paraibano e reaproveitamento de bitucas de cigarro para fabricação de papel.

Segundo a Profa. Cláudia, a perspectiva do projeto é de crescimento, aumentando a atuação na cidade de João Pessoa e região metropolitana. “Para que isso seja alcançado, é fundamental o apoio institucional da UFPB e de empresas privadas”, comentou a docente.

Mais informações sobre as atividades de educação ambiental executadas pelo “Mares Sem Plástico” estão disponíveis na página do projeto e na página da oficina Guardiões do Mar no Instagram.