Declínio global dos polinizadores ameaça o rendimento de 85% das safras mais importantes

Declínio global dos polinizadores ameaça o rendimento de 85% das safras mais importantes

O declínio global dos polinizadores ameaça o sucesso reprodutivo de 90 por cento de todas as plantas selvagens em todo o mundo e o rendimento de 85 por cento das safras mais importantes do mundo.

Polinizadores – principalmente abelhas e outros insetos – contribuem com 35 por cento da produção mundial de alimentos. O serviço prestado pelos polinizadores é particularmente importante para garantir alimentos produzidos por mais de dois bilhões de pequenos agricultores em todo o mundo. O artigo foi publicado na One Earth.

As estimativas atuais colocam o valor dos serviços de polinização em cerca de 200 a 400 bilhões de dólares americanos por ano. Os pequenos agricultores, cujos campos têm menos de dois hectares, representam cerca de 83 por cento de todos os agricultores. Eles se beneficiam dos serviços de polinização muito mais do que os agricultores com grandes campos.

Se os campos forem menores que dois hectares, qualquer queda na produção pode ser reduzida com muito mais eficiência por meio da polinização do que em grandes campos. Muitos pequenos agricultores vivem no Sul Global e sofrem de fome ou desnutrição. As safras que dependem de polinizadores, como frutas e nozes, contêm nutrientes que são particularmente importantes para a saúde.

“Os serviços de polinização na agricultura deveriam receber mais atenção, além da regulação de pragas e um bom suprimento de nutrientes”, afirma o autor, Professor Teja Tscharntke, Chefe do Grupo de Agroecologia da Universidade de Göttingen. Os benefícios não se limitam ao aumento da quantidade que pode ser produzida: sua qualidade também pode ser melhorada, por exemplo, em termos de conteúdo de nutrientes ou por quanto tempo pode ser armazenada.

Os sistemas agroflorestais de pequenos proprietários nos trópicos são particularmente adequados para isso e se destacam por suas comunidades de polinizadores comparativamente ricas em espécies.

“Mais precisa ser feito para conter o declínio dos polinizadores, que são principalmente abelhas e outros insetos. O estresse aos polinizadores causado por agroquímicos, grandes monoculturas e a perda de habitats seminaturais devem ser minimizados”, diz Tscharntke. “No entanto, esforços consideráveis de pesquisa ainda são necessários para tornar as paisagens agrícolas produtivas e, ao mesmo tempo, ricas em espécies – em particular para melhorar a situação nos trópicos.”

Referência:

Teja Tscharntke: Disrupting plant-pollinator systems endangers food security. One Earth (2021). Disponível aqui.