Um terço dos tubarões, raias e quimeras estão ameaçados de extinção

Um terço dos tubarões, raias e quimeras estão ameaçados de extinção

Estudo com mais de 1,1 mil espécies de peixes cartilaginosos indica que 32% correm risco de desaparecer, segundo critérios da União Internacional para Conservação da Natureza

A biodiversidade do planeta está cada vez mais em risco. Um dos mais recentes sinais de alerta é que um terço dos peixes cartilaginosos (chondrichthyans), como tubarões, raias e quimeras, estão ameaçados de extinção, segundo critérios da Lista Vermelha da União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN).

O fato vem de um estudo publicado na revista científica Current Biology na última segunda-feira (6). A avaliação constatou que o número de chondrichthyans ameaçados duplicou desde a última análise, realizada em 2014.

A nova pesquisa considerou mais de 1,1 mil espécies, das quais 391 (32%) entram para três tipos de classificação da IUCN de animais sujeitos à extinção. E o cenário pode ser ainda pior: se consideradas espécies menos estudadas, o índice poderia ser de 37,5%.

Um total de 90 espécies de chondrichthyans (7,5%) estão criticamente ameaçadas, outras 121 (10,1%) correm o risco de desaparecer e 180 (15%) estão vulneráveis, segundo a lista. Além do mais, menos da metade de todos os tipos de peixes cartilaginosos (44,1%) apresenta baixa preocupação de conservação.

Gráfico mostra variedade da classe de peixes chondrichthyan segundo a quantidade de espécies restantes. — Foto: Nicholas K. Dulvy et.al

Gráfico mostra variedade da classe de peixes chondrichthyan segundo a quantidade de espécies restantes. — Foto: Nicholas K. Dulvy et.al

O levantamento indicou ainda que 41% das 611 espécies de raias avaliadas estão ameaçadas. Também correm perigo de extinção 35,9% dos 536 tipos de tubarões e 9,3% dos 52 grupos de quimeras.

A ameaça é mais alta em águas tropicais e subtropicais, onde mais de três quartos das espécies estão sob risco de extinção. “Os trópicos hospedam uma incrível diversidade de tubarões e raias, mas muitas dessas espécies vulneráveis ​​foram pesadamente pescadas por mais de um século por uma ampla gama de zonas de pesca que permanecem mal administradas, apesar de incontáveis ​​compromissos para melhorar”, afirma Colin Simpfendorfer, professor que liderou o estudo, em comunicado.

Tubarão Carcharhinus obsoletus, que está praticamente extinto. — Foto: Wikimedia Commons

Tubarão Carcharhinus obsoletus, que está praticamente extinto. — Foto: Wikimedia Commons

Praticamente todos os chondrichthyans (99,6%) estão ameaçados pela pesca, mas outros fatores também afetam esses animais. Entre eles: destruição de seu habitat para fins de desenvolvimento, que atinge 25,8% das espécies; agricultura e aquicultura (9,5%); poluição (6,9%) e mudanças climáticas (10,2%), que degradam recifes de coral e aquecem águas oceânicas.