Espaço Ecológico publica artigo de Josiele Barros sobre controle financeiro e sustentabilidade

Espaço Ecológico publica artigo de Josiele Barros sobre controle financeiro e sustentabilidade

Confira o artigo abaixo:

CONTROLE FINANCEIRO E SUSTENTABILIDADE

Josiele Barros

“Entender que tudo na vida é equilíbrio é enxergar que ter controle financeiro e ser sustentável partem da mesma premissa: evitar o desperdício e pensar no futuro”.

O controle financeiro é o tipo de assunto que, para algumas pessoas, raramente entrará como pauta dos diálogos. Afinal, deve ser uma situação desconfortável falar de como gerir e controlar bem o seu dinheiro, sobretudo quando tais práticas não são exercidas. Não é muito diferente quando tratamos da sustentabilidade e os impactos negativos de ações não sustentáveis no planeta. Nesse sentido, vamos entender melhor sobre cada uma dessas questões e como podemos relacioná-las.

Controle Financeiro

De acordo com o seu conceito, a palavra “controle’’ é um substantivo utilizado para definir o domínio ou o poder de fiscalizar e administrar determinada coisa; ou seja, controlar a situação é dominar ou ter o poder sobre o que está acontecendo. A partir daí, podemos entender que controlar suas finanças é fiscalizar suas receitas e gastos e administrá-los de forma consciente para atender suas necessidades, desenvolvendo e aplicando um conjunto de atividades para alcançar objetivos determinados, e assim garantir algo para o seu futuro. Entretanto, mesmo sabendo que essa é uma prática saudável para nossa vida e que deve ser exercida tanto no âmbito pessoal, quanto no empresarial (quando for o caso), para muitos é uma prática difícil de ser incorporada ao dia a dia.

Dentre algumas medidas, controlar suas finanças inclui reduzir gastos e evitar desperdícios de dinheiro e, consequentemente, de tempo. Para facilitar essa trajetória, primeiramente, defina os objetivos. Quando sabemos aonde queremos chegar torna-se mais simples definirmos um caminho. Ao falar de objetivos, nos referimos ao futuro, ao que queremos realizar daqui a alguns dias, meses e/ou anos. Sendo assim, planejamos nossas ações no presente a fim de concretizar nossas metas, em curto ou longo prazo.

Bom, entendido sobre o que é controle financeiro, que tal aplicá-lo em sua vida? Depois de definidos os objetivos (não importa quais), desde montar uma reserva de emergência; quitar todas as dívidas; adquirir um bem específico ou fazer a viagem dos sonhos, basta partir para as ações. Inicialmente, entender a finitude do seu salário; anotar cada cafezinho tomado ou a conta que pagou naquele dia pode parecer cansativo, então comece fazendo previsões mensais de todos os seus gastos e/ou investimentos (previsão das despesas essenciais, água, energia, alimentação, mensalidade de cursos/escola até os cafezinhos nos fins de tarde, pizza do fim de semana, Netflix), e de todas as suas receitas (salário fixo, hora extra ou atividade fora do horário de serviço, com remuneração, todo e qualquer valor seu).

Desse modo, você conseguirá analisar sua vida financeira; fazer ajustes; detectar os desperdícios e aplicar os possíveis cortes a serem feitos, auxiliando na materialização de seu objetivo! Depois disso, acompanhe quinzenalmente, ou semanalmente, o andamento das previsões, fazendo alterações, quando necessário. Com o tempo, essas práticas de controle das finanças vão se tornar um hábito e se integrar cada vez mais ao seu otidiano. E por falar em práticas de conservação, vejamos como elas são pensadas para as questões ambientais.

Sustentabilidade

Ao falar em ecologia, devemos saber que um dos aspectos importantes é o estudo da Sustentabilidade, que é a capacidade de sustentação ou conservação de um processo ou sistema. A palavra sustentável deriva do latim sustentare e significa sustentar, apoiar, conservar e cuidar. O conceito de sustentabilidade aborda a maneira como se deve agir em relação à natureza.

Além disso, ele pode ser aplicado desde uma comunidade até todo o planeta. Segundo o site brasileiro da World Wildlife Fund (WWF), a definição de desenvolvimento sustentável surgiu durante a Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, criada pelas Nações Unidas para discutir e propor meios de harmonizar os objetivos para um desenvolvimento econômico e para uma conservação ambiental. Isto é: “Desenvolvimento sustentável é o desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual, garantindo a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações. É o desenvolvimento que não esgota os recursos para o futuro”.

Todavia, devemos reconhecer que os recursos naturais são finitos e vitais para a sobrevivência humana, para a conservação da diversidade biológica e ao próprio crescimento econômico. O desenvolvimento sustentável sugere a utilização dos recursos naturais com qualidade, jamais em quantidade. Enquanto consumidores, devemos estar cada vez mais conscientes do peso ecológico e social de nossas escolhas, ajudando, desta forma, a incorporar a ideia de sustentabilidade numa prática social, dia após dia.

A sustentabilidade é baseada em três princípios: o social, o ambiental e o econômico. O primeiro engloba as pessoas e suas condições de vida, como educação, saúde, violência, lazer, dentre outros aspectos. O segundo refere-se aos recursos naturais do planeta e a forma como são utilizados pela sociedade, comunidades ou empresas. O terceiro está relacionado com a produção, distribuição e consumo de bens e serviços, sendo a economia responsável por considerar tanto as questões sociais quanto ambientais. Dito isso, para que uma postura sustentável, de fato, se efetive no mundo, a relação entre esses princípios deve ser mais harmônica possível.

Relação entre Controle Financeiro e Sustentabilidade

Acredito, após chegar nesse ponto, não é difícil observar a relação entre esses temas, pois, ambos falam em usar o que está disponível de forma consciente; agir no presente pensando no futuro; entender a finitude dos recursos; atender às necessidades humanas; incorporar hábitos no dia a dia; alcançar objetivos… Enfim, muitas similaridades!

Finalmente, como tomar atitudes sustentáveis que nos ajudem com o controle das finanças e na redução dos gastos? A lista pode ser extensa, mas aqui temos alguns exemplos de como é simples:

1. Separe o lixo reciclado – você pode doar e/ou vender para a reciclagem;
2. Comece a reutilizar – muitas coisas que são descartadas ainda possuem vida útil ou podem servir para outras funções, te ajudando a evitar novos gastos.
3. Diminua o uso do carro – utilize mais o transporte coletivo, a bicicleta ou pratique caminhadas;
4. Diminua o uso de embalagens plásticas – em muitos locais elas são pagas, além de serem prejudiciais ao meio ambiente;
5. Prefira comprar de quem produz – os produtos, geralmente, têm preços mais justos e são mais saudáveis, fator que auxilia na economia sustentável e incentiva o pequeno produtor;
6. Consuma menos carne e evite o desperdício de alimentos;
7. Economize água e energia;
8. Imprima menos arquivos e utilize papel reciclável;
9. Opte por empresas sustentáveis;
10.Seja exemplo!

Ter controle financeiro e ser sustentável não é uma escolha difícil, porém precisa de ações diárias. Trata-se de um modo de vida, pensando no melhor viver! É autocuidado, cuidado com os seus e com o mundo. Já deu para perceber, não é? São ações simples, mas capazes de gerar transformações incríveis! Tudo que foi exposto tem um impacto positivo no meio ambiente e na sua vida financeira!