Vinagre de maçã ajuda na dermatite canina? Veterinários explicam

Vinagre de maçã ajuda na dermatite canina? Veterinários explicam

Não há embasamento científico para que o vinagre de maçã seja utilizado no tratamento de dermatite em cães. Em alguns casos, ele pode até piorar o problema

Basta fazer uma busca rápida pela internet e não faltam receitas de como usar vinagre de maçã para tratar, prevenir ou amenizar problemas de pele nos cães. Mas, será que funciona?

De acordo com os médicos-veterinários ouvidos por Vida de BichoBruno Pietro Luongo,  dermatologista responsável no Hospital Veterinário da Universidade Anhembi Morumbi e professor na mesma instituição; e Rebeca Bacchi Villanova, doutora em saúde, tecnologia e produção integrada e professora do curso de Medicina Veterinária da Universidade Positivo (UP), a resposta é negativa.

“Atualmente, as redes sociais veiculam muitas informações baseadas em simples observação, ou seja, sem embasamento científico! No caso do vinagre de maçã nas dermatopatias de cães não é diferente. Infelizmente, não há evidências em estudos clínicos realizados conforme uma metodologia científica balizada e rigorosa com um bom número de pacientes e grupo controle extenso”, observa Bruno.

Mas pode fazer mal?

Bruno reconhece que o vinagre pode ter um efeito bactericida considerável, devido à presença do ácido acético em sua composição química. Porém, ele adverte que passar o produto na pele dos cães pode resultar em irritação cutânea importante.

Além de irritação, o vinagre pode trazer outros problemas de saúde para os animais. “Não há evidências científicas sobre a indicação do vinagre no tratamento de qualquer doença. Pode causar vômitos, se ingerido e usado na pele, e, inclusive, pode predispor a dermatite de contato”, alerta Rebeca.

Ao perceber qualquer problema de saúde com o cão, o indicado é sempre procurar a orientação de um médico-veterinário de confiança (Foto: Pixabay / Laureetta Williams / CreativeCommons)
Ao perceber qualquer problema de saúde com o cão, o indicado é sempre procurar a orientação de um médico-veterinário de confiança (Foto: Pixabay/ Laureetta Williams/ CreativeCommons)

Dermatite canina

De modo geral, os veterinários explicam que qualquer processo inflamatório que atinja a pele dos cães pode ser classificado como dermatite canina. Dessa forma, ela pode ter várias causas, como parasitas – pulgas, carrapatos, entre outros -, infecções, alergias, doenças autoimunes e até razões neoplasicas, como o câncer de pele.

Assim como a dermatite pode ter causas diversas, a prevenção e o tratamento também são variados, dependendo, sobretudo no segundo caso, do que provocou a doença. Assim, o indicado é sempre procurar a orientação de um médico-veterinário de confiança.

“Tratamentos alternativos podem parecer naturais e inofensivos, mas, muitas vezes, podem iludir com a falsa impressão de que “resolve tudo” sem efeitos colaterais e, no final das contas, pode piorar ou não ajudar nada em muitas situações. Tratar, por exemplo, um cão com descamação por sarna demodécica ou até por doença grave como leishmaniose com vinagre pode ser, além de ineficaz, uma perda de tempo preciosa para a terapia correta e preservação da vida do paciente”, alerta Bruno.

Ele ainda indica que os tutores não automediquem os pets e busquem sempre a ajuda de um médico-veterinário de confiança. “Busque sempre tratamentos com comprovação científica, sob orientação de um profissional para evitar riscos à saúde do animal”, finaliza.