Tremembé da Barra do Mundaú celebram cultura alimentar e ancestralidade

Tremembé da Barra do Mundaú celebram cultura alimentar e ancestralidade

Os povos originários da etnia Tremembé, que vivem às margens da Barra do Rio Mundaú, no município cearense de Itapipoca, celebram, neste fim de outubro, o II Ritual do Alimento Sagrado. O evento, além de ressaltar a cultura alimentar da etnia, também tem como intuito homenagear os anciãos, conhecidos como “troncos velhos”, responsáveis por passar toda a sabedoria do preparo dos alimentos tidos como sagrados para as gerações atuais.

Este é um momento de a comunidade indígena agradecer pelos frutos e saberes adquiridos dos antepassados, já que, para o povo Tremembé, o alimento é considerado um elemento ancestral.

“Para nós, vivenciar este ritual é resgatar a vivência dos nossos ancestrais que se fortaleceram por meio desses alimentos. Queremos que os nossos jovens também vivenciem essa realidade por meio desse resgate da cultura alimentar na nossa aldeia”, destaca a liderança indígena Adriana Tremembé.

Durante os dois dias de evento, os Tremembé estarão engajados em atividades como: ritual de matança dos animais (galinha caipira, porco, bode), preparação dos alimentos ancestrais, ornamento de espaços sagrados, banhos de limpeza, exposição de remédios e plantas medicinais, pinturas corporais e atividades na casa de farinha.

Para Luan de Castro Tremembé, jovem liderança e comunicador, falar de seu povo é sinônimo de falar em comer bem de verdade. Como alimentos tradicionais da etnia, ele cita peixe assado com beiju, grolado e café de milho. “Para nós o alimento que nutre o corpo também é capaz de nutrir e curar o espírito. Não é somente sobre comer, é sobre o fazer de comer do Povo Tremembé, e, sobretudo, as histórias que contam os alimentos”.

Na ocasião, será lançada a I Exposição Fotográfica do Povo Tremembé, que contará com registros dos rostos dos ancestrais homenageados. As imagens foram em parte produzidas pelo jovem comunicador indígena Luan de Castro Tremembé e parte retirada de arquivos pessoais já existentes.

“Nossos idosos detém toda a sabedoria do território, da medicina tradicional, a sabedoria alimentar, os saberes sobre o tempo e conexão com a natureza . Para nós, os troncos velhos são os idosos vivos e encantados.  Eles são como raízes e nós, os jovens, somos os brotos”, ressalta Mateus Tremembé, liderança da etnia.

Também será apresentada durante o evento a I Cartilha da Medicina Tradicional do Povo Tremembé. Elaborada pelas lideranças indígenas Samuel Tremembé, Mateus Tremembé, Juliene Tremembé e Priscila Tremembé, a cartilha reúne informações que visam valorizar a medicina tradicional e os conhecimentos de curandeiros, rezadeiras e benzedeiras da etnia.  A realização conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Itapipoca.