Saúde pet: saiba como reconhecer sinais de estresse nos cachorros

Saúde pet: saiba como reconhecer sinais de estresse nos cachorros

Pesquisas mostram que cansaço, ansiedade e tensões também chegaram ao mundo animal

Quando se fala em saúde, é importante que os “papais de pet” se atentem não só à qualidade de vida dos seres humanos, mas também dos animais de estimação. No mundo em que vivemos hoje, com tempo escasso, pressão e preocupações diversas, os benefícios de se ter um bichinho em casa já são amplamente conhecidos, mas é preciso ficar alerta para os sinais de estresse que também são dados pelos animais.

Sintomas de estresse

O organismo de um animal estressado tem função semelhante ao nosso. Logo, os indícios do quadro também são muito parecidos. “A grande diferença é que os seres humanos têm melhores formas de lidar com o estresse do que os animais”, diz a médica-veterinária Louise Siqueira. Por isso, entre os sinais de cachorro estressado, ela destaca latidos excessivos, comportamento destrutivo, queda de pelos e falta de apetite.

“Alguns sintomas de estresse em cachorros, como os latidos em excesso e o comportamento destrutivo, prejudicam a convivência do pet com a família. Mas essa é só uma das razões para se preocupar com o estresse canino. Além de reduzir o bem-estar do seu amigo, ele também está associado à diminuição da imunidade e a outros problemas graves, como taquicardia e aumento da pressão arterial. Portanto, se você tem um cachorro muito estressado, é bom ficar atento”, afirma.

Estresse, tédio ou ansiedade?

Falando de seres humanos ou de cachorros, é comum que os três termos sejam usados como sinônimo. Para Louise, isso acontece porque boa parte das vezes esses quadros estão, de fato, interligados. Em linhas gerais, o tédio pode ser entendido como um sentimento pontual que surge quando não há nada para fazer.

Entretanto, se o tédio for muito frequente ele pode evoluir para quadros de ansiedade e estresse em cachorros. “Esses quadros podem se confundir e um agravar o outro, gerando comportamentos impulsivos e estressantes”, diz a veterinária.

Quais são as causas do estresse canino e o que fazer para relaxar o pet?

Pode parecer óbvio, mas não custa nada lembrar: as necessidades caninas não são as mesmas dos seres humanos. Para muita gente, nada mais relaxante do que passar o dia todo em casa, maratonando séries na TV.

Já no caso dos animais, não ter o que fazer é justamente uma das causas mais comuns para deixar o cachorro estressado. Mas o que eles precisam fazer para ficarem relaxados? O segredo de ter em casa um pet mais tranquilo é propor atividades e criar uma rotina que estimule os instintos e os sentidos caninos.