Prato colorido é mais saudável. Nutricionistas ensinam com montá-lo

Prato colorido é mais saudável. Nutricionistas ensinam com montá-lo

O seu almoço é colorido? Além de serem mais atrativos visualmente, os pratos com alimentos de cores diferentes garantem a variedade dos nutrientes, pois os pigmentos indicam a presença de substâncias distintas. As refeições coloridas são aliadas para evitar a carência de vitaminas, minerais e macronutrientes.

Não existe uma regra sobre quantas cores devem ser consumidas em cada uma das refeições. No entanto, o ideal é conseguir manter entre três e cinco cores em pelo menos duas delas. Alimentos verdes sempre devem estar presentes, pois auxiliam na limpeza do organismo, desintoxicam as células e combatem os radicais livres.

“Manter na rotina duas refeições diárias com legumes variados e folhas faz com que a chance de ter alguma deficiência caia bastante. As folhas são fontes de fibras, fundamentais para o bom funcionamento do intestino”, afirma a nutricionista Laura de Souza Silva, da clínica brasiliense Nutrindo o Conhecimento.

As refeições com poucas cores podem resultar em carência de nutrientes importantes para o corpo, provocando falta de energia, queda de cabelo, unhas frágeis, anemia, dor de cabeça, perda de peso, pele ressecada e tonturas.

Como tornar suas refeições mais coloridas?

Tudo começa no momento das compras no mercado. A nutricionista indica que sejam priorizados vegetais e legumes variados, com diferentes tipos de folhas. Também recomenda que as compras sejam semanais.

“É importante ir variando durante a semana, tanto para garantir a oferta de nutrientes, como para não enjoar de comer sempre a mesma coisa”, sugere Laura.

As cores podem ser usadas como guias para quem está com deficiência de determinada vitamina ou nutriente. A nutricionista Cynara Oliveira, do Hospital Santa Lúcia, aponta quais são os principais nutrientes encontrados em cada uma delas.