ONU convoca cúpula de líderes mundiais para tratar de energia renovável

ONU convoca cúpula de líderes mundiais para tratar de energia renovável

Dois eventos globais importantes acontecem neste ano, por iniciativa da Organização das Nações Unidas (ONU), por meio dos quais serão discutidas estratégias para enfrentamento do que a entidade chama de “desafio duplo”: lutar contra as mudanças climáticas e garantir que os países mais pobres possam se desenvolver de forma sustentável. A energia é um tema central em ambos.

ONU convoca líderes globais para tratar de energia renovável como forma de combate aos efeitos das mudanças climáticas. Imagem: Drop of Light – Shutterstock

Pela primeira vez em quatro décadas, a Assembleia Geral da ONU está convocando uma cúpula de líderes mundiais focada exclusivamente em energia. Se tudo correr como planejado, na próxima sexta-feira (24), os governantes debaterão táticas que incluem triplicar o investimento em energia renovável e tornar acessível energia moderna e limpa para todos os lugares, em um prazo de dez anos.

Cúpula do clima da ONU avalia o cumprimento do Acordo de Paris

De acordo com o The Conversation, o segundo evento é a conferência climática da ONU, que acontece em novembro. Na ocasião, negociadores representando nações ao redor do mundo serão solicitados a intensificar os esforços de seus países para reduzir suas emissões de gases de efeito estufa.

Neste ano, a cúpula do clima irá avaliar, pela primeira vez, o progresso em direção ao cumprimento do acordo climático em Paris, estabelecido em 2015.

Nesta sexta-feira (17), o presidente dos EUA, Joe Biden, anunciou planos de um compromisso do país e da União Europeia de reduzir as emissões de metano em 30% dentro da década e incentivou outros países a aderirem.

Apesar das metas ambiciosas dos EUA e de muitos outros países, as emissões mundiais de gases de efeito estufa continuaram a aumentar. O ano de 2020 foi uma breve exceção – as emissões caíram significativamente devido à pandemia de Covid-19 – mas essa tendência já foi revertida à medida que as economias vão se recuperando.

As declarações divulgadas pelos líderes mundiais após as recentes reuniões do G7 e do G20 destacaram o reconhecimento do problema. Ainda assim, poucos países e empresas apresentam planos e orçamentos detalhados para cumprir suas próprias metas de alto nível.