Explore algumas das cidades mais sustentáveis do mundo

Explore algumas das cidades mais sustentáveis do mundo

Muitas cidades em todo o mundo assumiram o compromisso de criar um futuro sustentável para as pessoas e para o planeta. Mas os movimentados centros urbanos podem realmente se tornar verdes? De restaurantes orgânicos e sem desperdício a arquitetura ecológica e energia limpa, aqui estão algumas cidades que estão fazendo a sua parte na luta contra as mudanças climáticas.

Lisboa, Portugal

Em 2020, Lisboa foi eleita a “Capital Verde da Comissão Europeia” – e com razão. Uma área extra de mais de 120 hectares de parque foi adicionada à cidade, o que significa que 85% dos habitantes da capital de Portugal vivem a 300 metros de um espaço verde. A utilização de veículos elétricos em Lisboa também está aumentando, com a instalação de muitos pontos de recarga de automóveis, esquemas de partilha de bicicletas elétricas, scooters e ciclomotores e uma nova frota de autocarros elétricos. Até os abundantes tuk-tuks turísticos que circulam pelas ruas sinuosas e estreitas da cidade, em um constante sobe e desce pelos locais históricos, são elétricos desde 2017.

Para compras ecológicas existem opções como a LX Factory, um centro criativo no bairro de Alcântara, que abriga butiques de moda recicladas, marcas de calçados veganos, lojas sustentáveis ​​de artigos para o lar e produtos orgânicos de produtores da região.

Vancouver, Canadá

Localizada na região oeste do Canadá, em meio às florestas, montanhas e praias, Vancouver recebe muitos incentivos para fazer sua parte pela preservação do planeta. O Vancouver Park Board aprovou uma nova meta de plantar dezenas de milhares de árvores adicionais nas ruas, parques e outros espaços públicos nas próximas décadas, depois que a cidade atingiu sua meta recente de plantar 150.000 árvores até 2020, uma iniciativa que começou em 2011 sob o Greenest City Action Plan (GCAP) ou Plano de Ação da Cidade Mais Verde.

As emissões em Vancouver estão entre as mais baixas da América do Norte e a cidade tem como objetivo atingir o zero desperdício até 2040. De iniciativas como limpeza de bairro a jardins compartilhados, a comunidade está no centro de muitas das ações ecológicas da cidade. A Biblioteca Pública de Vancouver tem um telhado verde, um jardim com plantas nativas resistentes à seca e painéis solares; e o Seaside Greenway, o mais longo caminho ininterrupto à beira-mar do mundo, com 28 quilômetros, conecta muitos dos espaços públicos de Vancouver, incluindo o Stanley Park Seawall.

São Francisco, Califórnia

São Francisco foi a primeira cidade dos Estados Unidos a proibir sacolas, canudos e utensílios de plástico – desde julho de 2019. A icônica metrópole da Califórnia destina menor quantidade de lixo para aterros sanitários do que qualquer outra no país, com 80% de seus resíduos sendo reciclados, reutilizados ou passando por processos de compostagem.

Na cidade também se encontra uma infinidade de restaurantes vegetarianos e veganos, enquanto a cooperativa Rainbow Grocery é uma referência local – fornece alimentos orgânicos com mínimo impacto negativo, tanto ecológico como social. Embora São Francisco pareça montanhosa, é a segunda melhor cidade para caminhadas nos Estados Unidos.

Canberra, Austrália

Canberra, a capital da Austrália, sai no topo quando se trata de fornecimento de energia, ligações de transporte e níveis de poluição. A cidade não apenas tem um excelente serviço de transporte público, mas também oferece 48% de sua energia de forma sustentável, enquanto pontua apenas 13,89 no índice de poluição. Canberra depende muito dos parques solares e eólicos próximos, dando adeus às opções de energia do passado.

Copenhague, Dinamarca

Copenhague pretende ser a primeira capital do mundo neutra em carbono, até 2025 – e está traçando um bom caminho para atingir essa meta. Menos de 2% do lixo da cidade vai para aterro sanitário; o restante é reciclado ou convertido em energia na usina Copenhill (também conhecida como Amager Bakke), que também funciona como uma pista de esqui artificial.

Copenhague também conta com barcos movidos a energia solar e ônibus elétricos reforçando uma rede de ciclovias bem estabelecidas e ruas com calçadas para pedestres. As águas do porto, em Islands Brygge Havnebadet, são tão limpas que é possível mergulhar nelas.

Helsinque, Finlândia

A natureza é fortemente sentida na vida cotidiana em Helsinque, capital da Finlândia. As áreas residenciais cercadas por parques, florestas e mar lembram os visitantes e moradores de suas escolhas cotidianas como contribuintes para o desenvolvimento ecologicamente correto. O desenvolvimento do transporte público, a reciclagem de resíduos e a diminuição do consumo desnecessário são todos componentes-chave para fazer de Helsinque uma cidade de vida inteligente e sustentável. As atuais metas climáticas de Helsinque são significativamente mais ambiciosas do que o resto da Finlândia ou da região da EU – se tornar neutra em carbono até 2035.

Liubliana, Eslovênia

A Eslovênia é conhecida por suas paisagens intocadas – e mesmo a capital, Liubliana, é famosa por oferecer ar fresco aos seus visitantes. A cidade é extremamente limpa e cada vez mais verde: suas ruas são lavadas com água reciclada e novos sistemas de gestão de resíduos têm o objetivo de reduzir o lixo para aterros sanitários para apenas 60 kg por pessoa, por ano, até 2025. Liubliana também foi a primeira cidade europeia a se comprometer com a meta de desperdício zero.