Entenda como o desperdício de alimentos pode afetar o meio ambiente

Entenda como o desperdício de alimentos pode afetar o meio ambiente

De acordo com a ONU, estima-se que 10% das emissões globais de gases de efeito estufa estão associadas a alimentos que não são consumidos

Os problemas ambientais vêm aumentando em grande velocidade e suas consequências os acompanham na mesma proporção. Um dos fatores mais graves para essas causas é o desperdício de comida. Nesse sentido, a Food to Save, foodtech que já evitou o descarte de mais de 150 toneladas de alimentos na Capital Paulista, Grande ABC e Campinas (SP), trabalha para diminuir esse impacto visando transformar o olhar sobre os excedentes de produção.

Esse tipo de descarte é o terceiro maior emissor de CO2 (Gás Carbônico) do mundo e segundo uma pesquisa realizada pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 2021, revela que aproximadamente 10% das emissões globais de gases de efeito estufa estão associadas às  comidas que não são consumidas. No Brasil, 30% de todo o alimento produzido é desperdiçado. Diante de um  cenário catastrófico e juntos aos seus clientes, a startup evitou que mais de 250 toneladas de CO2 fossem enviadas ao meio ambiente, reduzindo drasticamente os danos à natureza.

Com a venda de “sacolas surpresa”, que contam com até 70% de desconto, a foodtech fornece outra chance aos produtos próximos da validade ou que não podem ser reaproveitados no dia seguinte, como os perecíveis, por exemplo. “Nós não queremos só que os consumidores comprem a sacola. Nosso objetivo é que as pessoas saibam que estão fazendo parte de uma corrente importante, que beneficia o planeta e a sociedade. Além disso, é importante que elas pensem duas vezes antes de comprar apenas por impulso e jogar os alimentos no lixo”, explica Lucas Infante, CEO e co-fundador da Food To Save.

Ao  todo, são mais de 500 estabelecimentos cadastrados na plataforma, entre eles: Rei do Mate, Bella Paulista e o restaurante Manai. Os produtos são disponibilizados  no aplicativo da startup com a opção de serem entregues via delivery ou retirados diretamente nos locais escolhidos.

Dessa forma, a Food to Save ataca efetivamente um grande problema que afeta o meio-ambiente, mostrando um valor importante para causa e oferecendo uma resposta necessária para a crise alimentícia que o país enfrenta. “Queremos combater o desperdício de excedentes de produção e fazer com que mais pessoas tenham acesso a bons alimentos. Se a gente pode fazer isso de forma mais sustentável e ajudando o meio ambiente, por que não?”, afirma Lucas.