Empresas se reinventam para reduzir a produção de embalagens plásticas

Empresas se reinventam para reduzir a produção de embalagens plásticas

Empresas se reinventam para reduzir a produção de embalagens plásticas e o impacto ambiental deste tipo de resíduo.

Sob grande pressão dos consumidores e com leis cada vez mais restritivas, multinacionais vêm tentando reduzir a produção de embalagens plásticas com novas tecnologias, apostando na reutilização, reciclagem, além da sua substituição por outros materiais.

Em janeiro, mais de 70 empresas de 42 países assinaram uma declaração conjunta pedindo à ONU um tratado internacional para produção e reciclagem, pois diferentes regras para cada região prejudicam a competitividade e oneram as companhias.

Uso e descarte inadequado do plástico de uso único persiste

De acordo com a WWF, apenas 10% de todo plástico produzido até hoje foi reciclado e sua produção deverá dobrar até 2040, tendo capacidade de aumentar a poluição nos oceanos em até quatro vezes até 2050.

Por se tratar de um material leve, barato, flexível, durável e com boa capacidade de proteção de produtos, o plástico ainda tem ampla circulação e muitos apostam que ele dificilmente desaparecerá, mesmo com os prejuízos causados ao meio ambiente.

No Brasil, um estudo realizado pelo Sindicato Nacional de Limpeza Urbana (Selurb), com a PwC Brasil, indicou que metade das cidades brasileiras ainda descartam seus resíduos de forma ambientalmente inadequada. A pesquisa, que analisou 3.572 municípios, também indicou que a taxa de reciclagem brasileira está em torno de 3,5%.

Empresas investem em mudanças

Algumas iniciativas adotadas por grandes empresas têm mudado a forma que o plástico é utilizado pelo mercado. Uma delas é a Braskem, que segue na vanguarda da inovação e do desenvolvimento sustentável para gerar um melhor impacto no planeta e na sociedade e, há mais de uma década, busca soluções inovadoras e sustentáveis para a valorização do plástico.

Uma das iniciativas que contribui para que copos plásticos descartáveis de café e água não tenham como destino final os aterros sanitários é o Programa de Reciclagem de Copos Descartáveis que, em parceria com a Dinâmica Ambiental e apoio da Copobras, da Altacoppo, da Unigel e da Innova, recolhe esses resíduos nas empresas participantes e os encaminha para a reciclagem de forma correta e eficiente.

A partir daí, eles são transformados em resina pós-consumo e ganham nova vida, podendo ser aplicados nos segmentos de tampas de cosméticos e produtos de limpeza, utilidades para o lar, na indústria automotiva ou moveleira e na fabricação de eletrodomésticos e bicicletas.

Além da reciclagem, o programa também é educativo, já que as empresas participantes recebem treinamentos sobre o processo de descarte e outras boas práticas sustentáveis.

O Brasil tem potencial para reciclar grande parte de todo o resíduo que produz. É urgente que a população, iniciativa privada e pública se unam em prol da reciclagem, contribuindo para a sociedade e o meio ambiente. Só assim o país garantirá um desenvolvimento econômico mais sustentável. Se você também deseja contribuir para um planeta melhor, entre em contato e saiba como fazer a adesão da sua empresa no Programa de Reciclagem de Copos Descartáveis!