A cada hora, 3 brasileiros têm as pernas ou os pés amputados

A cada hora, 3 brasileiros têm as pernas ou os pés amputados

Entre os anos de 2012 e 2021, mais de 245 mil brasileiros passaram por algum procedimento médico que envolvesse a amputação das pernas ou dos pés, o que representa uma média de 66 casos por dia. A principal causa é o diabetes, segundo a Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (Sbacv).

O levantamento foi feito a partir dos dados do Ministério da Saúde e, nos últimos anos, o número de amputações se intensificou. Em 2020, a média diária do procedimento chegou a 75,6. Em 2021, foi estimada em 79,1. Isso significa que, a cada hora, pelo menos três brasileiros têm as pernas ou os pés amputados.

Por dia, 79 brasileiros têm os pés ou as pernas amputadas e o principal motivo é o diabtes (Imagem: Rawpixel/Envato Elements)

Aumento das amputações com a covid-19

A situação das amputações em pacientes diabéticos foi intensificada, entre vários fatores, pela pandemia da covid-19. Segundo o presidente da Sbacv, Julio Cesar Peclat de Oliveira, muitos pacientes deixaram de dar continuidade ao tratamento de doenças crônicas, como o diabetes.

Sinais de risco

Para entender sobre os riscos e o que leva a este tipo de cirurgia, Oliveira explica que cerca de 70% das amputações são motivadas por uma pequena ferida ou calo no pé. Dessa forma, quem já é diabético, deve fazer o autoexame diário, principalmente o do pé neuropático — caracterizado pela perda progressiva da sensibilidade.

No caso da ferida, ela vai infectar, gangrenar e pode evoluir para a perda do membro. “É uma doença crônica e o tratamento tem de ser crônico, ou seja, não pode ser descontinuado”, reforça Oliveira.

Falta informação sobre o diabetes

“No mundo, uma em cada cinco pessoas não sabe que é portador dessa doença. A pandemia nos revelou isso. Muitos pacientes que chegam ao consultório ou aos serviços de urgência com complicações do diabetes só descobrem que a têm após o atendimento”, reforça Oliveira sobre o desafio que o diagnóstico em massa da população.

Inclusive, o diabetes tipo 2 pode ser evitado ou controlado, através de um estilo de vida saudável. Para isso, as pessoas devem melhorar a alimentação e adotar a prática regular de exercício físico, o que pode ser feito com caminhadas.