4 novos hábitos para se tornar um consumidor consciente

4 novos hábitos para se tornar um consumidor consciente

O consumo consciente, é o ato de consumir de um jeito diferente, sem excessos nem desperdícios, buscando um melhor impacto para si mesmo, a sociedade e o meio ambiente. Hábitos de consumo consciente podem ser aplicados em todas as etapas do consumo: compra, uso e descarte.

Para Bruna Tiussu, gerente de comunicação da organização sem fins lucrativos Instituto Akatu, o consumidor brasileiro manifesta a vontade de aderir a práticas mais sustentáveis de consumo, ainda que falte ao país políticas públicas que estimulem a produção mais sustentável e o próprio consumo consciente, além de uma educação para a sustentabilidade.

A Pesquisa Vida Saudável e Sustentável 2020, realizada pelo Instituto Akatu e GlobeScan, apontou um aumento de 41% (2019) para 44% (2020) entre os consumidores que recompensaram empresas socialmente responsáveis no último ano.

“Isso mostra que o consumidor brasileiro valoriza empresas alinhadas com práticas sustentáveis, mas sabemos que ele ainda encontra barreiras para a adoção de hábitos de consumo consciente, como o preço – a percepção que produtos mais sustentáveis são mais caros – e a necessidade de esforço – por exemplo, acesso aos produtos e o processo de mudança de hábito em si”, diz Bruna.

A especialista afirma que, para a mudança acontecer no comportamento do consumidor, é preciso apoio das empresas.

“Elas farão isso fornecendo produtos mais sustentáveis e informações claras e confiáveis sobre os atributos de sustentabilidade de seus produtos ou serviços, mostrando os impactos positivos, ou a diminuição dos impactos negativos, associados a eles”, comenta. “Precisam também comunicar de forma eficaz suas ações em direção à sustentabilidade.”

O que o consumidor pode mudar no dia a dia em prol de um consumo mais sustentável?

  1. Evite o desperdício de alimentos
    Atualmente, 8% das emissões de gases de efeito estufa do mundo originam-se da perda ou do desperdício de alimentos. Se o desperdício de alimentos fosse um país, ele seria o 3º maior emissor de GEE do mundo, atrás somente dos Estados Unidos e da China. 

    Faça a sua parte planejando o cardápio e indo às compras com uma lista para levar para casa só o necessário. Adote o hábito de armazenar os ingredientes considerando a data de validade, para não correr o risco de perdê-los, e adote receitas que façam o uso integral de alimentos.

     

  2. Antes de decidir pela compra de um novo produto, reflita se você realmente precisa dele
    Você também pode optar pelo conserto do item ou, se for possível, pela compra de um item de segunda mão, que não vai exigir novas emissões relacionadas à sua produção. 

     

  3. Apague as luzes ao sair de um ambiente
    A produção e o consumo de energia elétrica são responsáveis por uma parcela significativa das emissões anuais de GEE do Brasil: 28% do total. Você pode ajudar a reverter esse cenário adotando o hábito de privilegiar a iluminação natural e substituindo lâmpadas fluorescentes comuns por LED, cujo consumo é cerca de 30% menor. 
  4. Escolha meios de transporte com melhor impacto
    Das emissões correspondentes ao setor de energia, 49% estão relacionadas ao transporte. E modais movidos a combustível fóssil, como a gasolina, emitem cerca de 25% mais CO2 na atmosfera do que os que utilizam etanol produzido a partir da cana de açúcar.No caso de percursos curtos, prefira caminhar. Em percursos médios, tente usar meios de transporte que não dependam da queima de combustíveis, como as bicicletas e os patinetes. E quando o carro for necessário, prefira os movidos a combustíveis renováveis, se isso for uma opção.