Terremotos podem ajudar as árvores a crescerem, indicam evidências

Terremotos podem ajudar as árvores a crescerem, indicam evidências

Após um terremoto, a prova mais imediata do que aconteceu é ver a paisagem alterada que ele deixou para trás. Mas em um novo estudo, cientistas descobriram uma consequência surpreendente dos eventos: um aumento no crescimento das árvores, causado por mudanças na disponibilidade de água subterrânea provocadas pelo tremor.

De acordo com a equipe liderada pelo autor e hidrólogo Christian Mohr, da Universidade de Potsdam, na Alemanha, “grandes terremotos podem aumentar a quantidade de fluxos de alimentação de água, elevar os níveis do lençol freático e, assim, conceder às raízes das plantas mais acesso à água em ambientes onde ela é limitada”.

A análise de núcleos de árvores de 2014, extraídos de árvores no fundo do vale, mostrou que algumas das árvores experimentaram um aumento temporário de crescimento após o terremoto, com base em ambas as evidências de anéis de árvores (aumento do lúmen área) e na proporção de isótopos de carbono nas células. Isso dá uma perspectiva em nível celular sobre aspectos da saúde, crescimento e disponibilidade de água das árvores.

“Se o crescimento das árvores é limitado principalmente pela água, as árvores deveriam, em teoria, registrar as respostas hidrológicas aos terremotos, alterando suas taxas de crescimento”, pontuaram. Para isso, os pesquisadores estudaram pinheiros Pinus radiata – no Chile – para medir os efeitos de um terremoto de magnitude 8,8 que afetou a região em 2010.

Ainda assim, com um estudo de caso que demonstra como essas técnicas podem ser usadas no campo, os pesquisadores afirmam que suas descobertas mostram que as mudanças pós-sísmicas na área do lúmen e as taxas de isótopos de carbono podem ser usadas para estudar o crescimento das árvores e as respostas fotossintéticas aos terremotos. E com isso, podemos ter uma nova ferramenta para estudar terremotos do passado.