Saguis morrem ao contrair herpes de alimentos oferecidos por humanos

Saguis morrem ao contrair herpes de alimentos oferecidos por humanos

Os alimentos oferecidos pelos humanos – incluindo as frutas – também podem levar os saguis a desenvolver diabetes, problemas renais e hepáticos, além da cárie, que os faz perder os dentes, levando-os a morrer de fome

Saguis têm sido encontrados mortos em bairros rurais e no Jardim Botânico de Bauru, no interior do estado de São Paulo. Biólogos alertam que a principal causa das mortes é o herpesvírus humano, transmitido através de alimentos contaminados oferecidos aos animais pela população. Fatal para os saguis, a doença acomete 9 entre 10 pessoas.

O mito de que os macacos têm uma dieta à base de frutas contribui para que a população ofereça esse tipo de alimento aos saguis, conforme explicitado pelo biólogo Vinícius Sementili Cardoso, do setor de Educação do Jardim Botânico Municipal de Bauru. E em muitos casos, os alimentos chegam contaminados aos animais.

“A herpes humana é muito comum e provoca, normalmente, sintomas leves nas pessoas, com manifestações esporádicas. Os saguis também têm contato com o vírus ao mexerem no lixo. Então, é importante que, além de não oferecer comida, as pessoas também lacrem bem o descarte de seus resíduos. Temos relatos destes animais morrendo de herpes em bairros rurais, entre eles o Vale do Igapó, e ao longo dos últimos meses, encontramos no Jardim Botânico também”, explicou o especialista em entrevista ao JCNET.

A morte dos saguis contaminados pela doença é rápida. Logo após surgirem as primeiras feridas nas mucosas do rosto, o animal fica debilitado e vem a óbito. Saguis contaminados também contaminam outros animais da espécie, o que aumenta o número de mortes.

Feridas são características da herpes (Foto: Jardim Botânico Municipal de Bauru)

Os alimentos oferecidos pelos humanos – incluindo as frutas – também podem levar os saguis a desenvolver diabetes, problemas renais e hepáticos, além da cárie, que os faz perder os dentes, levando-os a morrer de fome.

Na natureza, a espécie desfruta de uma abundância de alimentos e, portanto, não se deve alimentá-los — não só para evitar doenças, mas também para que eles se mantenham selvagens, sem contato com os humanos, o que os beneficia. “Eles comem insetos, lagartixas e têm como preferência a resina encontrada nas árvores. Eles perfuram as cascas com os dentes. É importante que a população não tenha dó deles, achando que estão com fome, porque não estão. Essa ideia é falsa. As frutas que são ofertadas para eles têm teor calórico muito alto”, explicou o biólogo.

Para Cardoso, filmes e desenhos foram responsáveis por disseminar o mito de que macacos comem banana. “Essa ideia foi muito difundida na televisão e nos circos, por muitos anos. Não há relatos científicos de que os primatas busquem a banana como alimento. Todos os frutos consumidos por humanos são inadequados para eles. A orientação é manter distância dos saguis: eles lá, eu aqui”, pontuou.