Poluição do ar é causa provável de até 6 milhões de nascimentos prematuros

Poluição do ar é causa provável de até 6 milhões de nascimentos prematuros

Em estudo, a análise global de poluição interna e externa também encontrou uma relação com o baixo peso do bebê ao nascer

poluição do ar é provavelmente responsável por até 6 milhões de nascimentos prematuros e 3 milhões de bebês abaixo do peso em todo o mundo a cada ano, relatou uma pesquisa publicada na revista Plos Medicine.

A análise, que combina os resultados de vários estudos científicos, é a primeira a calcular a carga global total da poluição do ar exterior e interior combinados.

A poluição interna, causada principalmente por fogões que queimam combustível sólido, como carvão ou lenha, representou quase dois terços da carga total de poluição nas gestações em 2019, de acordo com as últimas descobertas. Isso é especialmente verdadeiro em áreas em desenvolvimento, como em partes do sudeste da Ásia e da África Subsaariana.

“Em um nível individual, a exposição à poluição do ar em ambientes fechados parece carregar um fardo muito maior em comparação com os níveis externos”, afirmou Rakesh Ghosh, epidemiologista da Universidade da Califórnia, em San Francisco, e pesquisador-chefe do artigo, em entrevista para o The Guardian. “Reduzir a exposição à poluição doméstica, na medida do possível, deve ser parte do atendimento pré-natal, especialmente onde a poluição doméstica prevalece”.

A poluição do ar é geralmente medida de acordo com a exposição a partículas finas menores que 2,5 milionésimos de metro (PM2.5). Uma vez inaladas, o tamanho minúsculo dessas partículas permite que elas sejam absorvidas na corrente sanguínea, podendo causar problemas de saúde de longo alcance.

Regiões como o sul e o leste da Ásia são as mais poluídas, com Bangladesh, China, Índia e Paquistão abrigando 49 das 50 cidades mais poluídas do mundo. Nos últimos anos, incêndios florestais, incêndios agrícolas e tempestades de poeira também causaram grande poluição do ar. Além disso, o custo da poluição do ar para a economia global é estimado em mais de US $ 2,9 trilhões por ano, além de causar sérios danos à saúde pública.

Para este estudo, a equipe de Ghosh examinou 108 trabalhos de pesquisa sobre poluição interna e externa em correlação com quatro riscos principais de gravidez – idade gestacional no nascimento, redução do peso ao nascer, baixo peso ao nascer e nascimento prematuro – em 204 países.

Caso a poluição do ar no sudeste da Ásia e na África Subsaariana diminua, o estudo calcula que o número de nascimentos prematuros e de bebês com baixo peso ao nascer poderia ser reduzido em quase 78% globalmente.