Medidas contra a covid-19 podem ter eliminado uma linhagem da gripe, diz estudo

Medidas contra a covid-19 podem ter eliminado uma linhagem da gripe, diz estudo

Medidas que evitam a transmissão do coronavírus SARS-CoV-2, como distanciamento social, uso de máscaras, higienização constante das mãos e fim de encontros em ambientes sem circulação de ar podem ter eliminado uma linhagem do vírus influenza — agente infeccioso responsável por causar a gripe comum. É o que sugere um estudo científico publicado na revista Nature Reviews Microbiology.

De acordo com os pesquisadores da Universidade de Melbourne, na Austrália, o número e a diversidade das cepas da gripe sobreviventes foram gravemente afetados pelas medidas de proteção contra a covid-19, após serem adotadas de forma massiva. É neste cenário que a linhagem Yamagata do vírus influenza do tipo B pode ter desaparecido ou entrado em estado de dormência.

Máscaras e distanciamento social podem ter eliminado uma linhagem do vírus da gripe (Imagem: Reprodução/Svitlanah/Envato Elements)

“A pandemia de SARS-CoV-2 desencadeou uma redução global notável nos casos de influenza dos vírus A e B”, explicam os cientistas, no estudo. “Em particular, a linhagem B/Yamagata não foi identificada de abril de 2020 a agosto de 2021, sugerindo que esta linhagem pode ter se extinguido”, especulam. Inclusive, este fato pode “melhorar a disponibilidade e eficácia das vacinas contra influenza”, apontam os pesquisadores.

Entenda o vírus da gripe e o impacto da covid

Vale explicar que a gripe comum é causada por mais de um tipo de vírus influenza e estes são classificados como A e B, sendo que cada um possui subtipos. Os subtipos A que mais frequentemente infectam os humanos são os A (H1N1) e A (H3N2), enquanto os subtipos B são classificados como linhagem Victoria e Yamagata. Além destes, existem também os tipos C e D, mas a ação em humanos é bastante limitada.

De modo geral, os pesquisadores observam que os tipos de Influenza B evoluem de forma mais lenta. Inclusive, é possível verificar algumas mutações deste agente infeccioso nos últimos meses. No entanto, nenhum vírus da linhagem Yamagata foi detectado, desde março de 2020, nos bancos de dados analisados.

“As detecções do vírus da gripe caíram drasticamente a partir de abril de 2020, com uma redução de 99% em comparação com os anos anteriores, apesar dos níveis de teste aproximadamente semelhantes”, explicam os pesquisadores. “Mudanças comportamentais (distanciamento social, uso de máscara e medidas de higiene) e restrições de viagens e deslocamentos são considerados os principais fatores que impulsionam a redução da incidência de influenza, que também foi observada para outras infecções respiratórias comuns, como o vírus sincicial respiratório [comum em bebês]”, afirmam.

Linhagem oculta?

Por enquanto, os cientistas ainda não descartam a possibilidade de que a linhagem Yamagata “simplesmente se escondeu”. Isso porque se sabe que os vírus da influenza B já ficaram “dormentes” por longos períodos. “O tempo dirá se a linhagem B/Yamagata se foi para sempre”, ponderam os autores.

Caso novas evidências confirmem esse fato, as vacinas anuais da gripe devem sofrer alterações, especulam os cientistas. Isso porque o imunizante não precisaria mais englobar quatro possíveis alvos, como as versões atuais, já que a Yamagata estaria fora de circulação. No entanto, mais anos de observação ainda são necessários.

Para acessar o estudo completo, publicado na revista científica revista Nature Reviews Microbiology, clique aqui.