Maioria das mulheres nem percebe menopausa. Saiba primeiros sinais

Maioria das mulheres nem percebe menopausa. Saiba primeiros sinais

Pesquisa feita por fabricante de absorventes revelou que entrevistadas só descobriram estar no climatério 7 meses após primeiros sintomas

Uma pesquisa financiada pela empresa de absorventes Always Discreet revelou um dado curioso sobre a saúde feminina. A partir de informações coletadas com mil mulheres, os pesquisadores descobriram que a maioria não percebeu que estava entrando na menopausa até sete meses após o início dos primeiros sintomas

Dentro do mesmo levantamento, 30% das respondentes afirmaram que gostariam de ter sido mais informadas sobre a menopausa e 52% disseram que teriam se sentido melhor caso soubessem como amenizar os sintomas característicos do período.

O ginecologista Leonardo Jacobsen, integrante da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), afirma que, de fato, ainda existem muitas dúvidas sobre o assunto. Segundo ele, é necessário que se compartilhem informações claras para que as mulheres possam se sentir mais seguras e tomar melhores decisões em relação à própria saúde.

“Quando as mulheres estão bem informadas há uma maior adesão a tratamentos e obtemos melhores resultados para amenizar os sintomas, bem como para prevenir doenças crônicas e o rastreamento de câncer”, ressalta o médico.

A menopausa ocorre, em média, por volta dos 48 anos, sendo que 90% das mulheres sente os primeiros sintomas entre os 45 e os 55 anos de idade.

Alguns indícios podem apontar que a mulher está entrando na menopausa: “A principal pista é a irregularidade menstrual. A mulher deixa de menstruar todos os meses, passando a ter intervalos mais longos entre um ciclo e outro”, explica o médico.

Durante esse período de irregularidade, também chamado de climatério, a mulher tende a apresentar dificuldades com o sono, alterações de humor, fogachos – episódios de calor intenso – e suores noturnos.

Ganho de peso e queda de cabelo

O médico comenta que sintomas como o aumento de peso e a perda de cabelos são relatados geralmente na menopausa mais tardia. “Estudos mostram que devido a queda nos hormônios as mulheres ficam com o metabolismo mais lento e tendem a acumular gordura e perder massa muscular, algo que é muito ruim para a saúde”, afirma.

O médico esclarece que durante a transição para a menopausa, as menstruações ainda estão presentes, mas de maneira irregular, refletindo uma grande variação da produção hormônios pelos ovários. Os sintomas podem iniciar até mesmo 4 anos antes da última menstruação.

Reposição hormonal

Jacobsen comenta que existe um mito de que a reposição hormonal, tratamento indicado para aliviar os sintomas da menopausa, pode causar trombose e doenças cardiovasculares.

“Dados de estudos mais recentes demonstram que a reposição hormonal, quando realizada de maneira correta, em mulheres sem contra-indicações, usando hormônios idênticos ao do corpo humano, protegem contra doenças cardiovasculares e não aumentam o risco de trombose e câncer”, afirma.

Segundo o especialista, as mulheres que repõem os hormônios apresentam menor risco de osteoporose e demências, quando comparadas às mulheres que não fazem o procedimento.