Estado da Paraíba ganhará usinas de energia renovável no Sertão

Estado da Paraíba ganhará usinas de energia renovável no Sertão

O governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), acompanhará a Aneel no município de Santa Luzia, na próxima quinta-feira (7), onde será assinada a outorga de autorização para a implantação de novas usinas de energia renovável. Ao todo serão investidos R$ 2,4 bilhões, com a expectativa de gerar cerca de 1,5 mil novos empregos.

A expectativa é que a Paraíba passe da produção de 331 megawatts para cerca de 600 megawatts. Atualmente, o Estado tem oito parques de geração de energia solar e 21 parques eólicos.

“Vejam como é importante essa expansão que estamos fazendo. Eu tenho certeza que em breve estaremos produzindo mais de 600 megawatts, atingindo um patamar tranquilo de geração e tentando economizar aquilo que nos é muito caro, a água”, disse o governador durante o programa Conversa com o Governador, veiculado ontem, a nível regional pela Rádio Tabajara.

Na opinião de João Azevêdo, as fontes renováveis precisam ser o futuro da geração de energia no Brasil, principalmente na região Nordeste. “Estamos vendo o que acontece, no Sul e Sudeste principalmente, por conta da falta de chuvas. As barragens estão secando e como nós usamos as águas das barragens para a geração de energia, não podemos acumular água para abastecimento humano, e essa é uma questão que precisa ser repensada”, comentou.

O governador completou ressaltando que, apesar do Nordeste ter pouca água, é um lugar rico em sol e vento, o que deve ser aproveitado. “Aqui temos pouca água, mas temos muito vento e muito sol, então é bom que se gere energia com o sol e o vento, deixando as águas para proteger a garantia hídrica das pessoas, animais e produção agrícola”, ressaltou.

Para isso, a Paraíba tem recebido cada vez mais empresas que querem investir nesse tipo de energia. “A Agência Nacional de Energia Elétrica e com os estados realiza os leilões, a partir daí as empresas apresentam os seus projetos e buscam o status para implantação. Cabe ao Estado facilitar e criar caminhos mais rápidos para que a gente possa implantar os novos parques, porque a energia solar e os parques eólicos é que salvaram o país dessa crise de energia que hoje nós vivemos”, concluiu.