Efeito sanfona: entenda o que causa ganho e perda de peso rapidamente

Efeito sanfona: entenda o que causa ganho e perda de peso rapidamente

Especialista explica as razões que levam as pessoas a ganhar e perder peso rapidamente durante o processo de emagrecimento

Não importa se você está procurando ganhar ou perder peso, o chamado “efeito sanfona” sempre coloca dificuldades em manter ou alcançar o resultado que deseja. É o que acontece quando uma pessoa tem ganho e perda de peso com facilidade. O personal trainer e educador físico, Tauan Gomes, explica que o maior causador do efeito sanfona é a ansiedade, além de outras razões.

O que causa o efeito sanfona

“O processo de engordar demora tempo, 6 meses, 1 ano ou até 5 ou mais anos de negligência de cuidados com a saúde. Tem gente que acredita que entre 20 e 30 dias de detox é possível resolver o problema de forma definitiva. Acreditando nisso as pessoas acabam optando por medidas severas de restrição alimentar como solução milagrosa, o que acaba por não ser possível de sustentar a longo prazo, e com a frustração o peso volta tudo de novo, dessa vez carregado por compulsão alimentar e traumas ocasionadas pela ansiedade do resultado imediato”, justifica.

Além da ansiedade, a Taxa Metabólica Basal (TMB) também pode causar o efeito sanfona. Trata-se do mínimo de energia necessária para manter as funções do organismo em repouso, como os batimentos cardíacos, a pressão arterial, a respiração e a manutenção da temperatura corporal.

“Conforme cada perfil, idade, sexo, ativo ou sedentário, peso, altura e indice de massa corporal (IMC), é possível encontrar o gasto basal diário, que é exigência energética para a manutenção do corpo e da vida, que você precisa consumir diariamente para mantê-lo em funcionamento”, explica.

“A queda de peso de forma acelerada pode causar uma redução da taxa metabólica basal considerável, fazendo com que seu corpo gaste cada vez menos energia de forma natural e obrigando a permanecer em dietas cada vez mais restritivas para que o peso não volte a aumentar”, complementa o educador.

Tauan explica ainda que a restrição alimentar funciona, mas é necessário o acompanhamento profissional para que o processo seja realizado da forma correta. Isso porque, com o déficit calórico muito alto de forma repentina, nosso corpo sofre uma redução de peso de forma rápida em um primeiro momento, mas enfrenta algumas consequências ao longo prazo.

Uma delas é o aumento do cortisol, conhecido como hormônio do estresse. Se liberado em grande quantidade, ele pode ser o vilão do processo de emagrecimento por fazer com que o corpo produza adrenalina e insulina em excesso, e rapidamente transformando o glicogênio que (um tipo de carboidrato armazenado no fígado) e em açúcar.

Isso provoca um acúmulo de gordura, especialmente na região do abdômen, além de obrigar que seu metabolismo basal fique cada vez mais lento para se adequar a restrição de energia consumida.

O personal trainer lembra também que a perda acentuada de peso causa um grande catabolismo de massa muscular, causando a aparência de mais idade do que tem, além da queda de energia e produtividade para o dia a dia.

Além das razões já citadas, uma das causas do efeito sanfona, para Tauan, é a falta de planejamento. “Você acaba queimando etapas do seu processo. Diante disso, é muito importante conseguir manter um ritmo e, sobretudo, um estilo de vida saudável, algo que vai te acompanhar pelo resto da vida”, afirma.

O especialista também ressalta que o processo é gradativo. “Entenda que o que demorou anos para que o indivíduo engordasse 8, 12 ou 30kg, não aconteceu da noite para o dia e, por isso, buscar estratégias que visam resultados imediatos podem custar caro a sua saúde física e mental”, finaliza.