Aquecimento global de 1,5°C pode acontecer já nos próximos cinco anos, diz OMM

Aquecimento global de 1,5°C pode acontecer já nos próximos cinco anos, diz OMM

Organização Meteorológica Mundial afirma que existe 50% de chance de planeta bater marca emblemática em breve

Um novo relatório publicado pela Organização Meteorológica Mundial, a OMM, afirma que existe 50% de chance do mundo ultrapassar o emblemático limite de 1,5ºC, idealizado no Acordo de Paris, até 2026. De acordo com o estudo, essa transposição de limite pode ser apenas temporária, já que as temperaturas podem voltar a cair novamente, mas a Ciência vem mostrando que mesmo um cenário como este pode trazer mudanças irreversíveis para o planeta.

“Estamos chegando mais perto de atingir temporariamente a meta mais baixa do Acordo de Paris”, disse o secretário-geral da OMM, Petteri Taalas, referindo-se aos acordos climáticos adotados em 2015, quando os líderes mundiais prometeram evitar cruzar este limite de aquecimento.

Embora comprometimentos estejam avançando e atitudes concretas de investimentos em energias limpas, cidades mais verdes e agricultura sustentável estejam se espalhando cada vez mais pelo mundo, as políticas atuais colocam o planeta na rota de um aquecimento global de cerca de 3,2°C até o final do século, apontam pesquisas recentes. Hoje o mundo já está pelo menos 1,1ºC mais quente do que era antes da industrialização. “Perdas e danos associados ou exacerbados pelas mudanças climáticas já estão ocorrendo, algumas delas provavelmente irreversíveis no futuro próximo”, disse Maxx Dilley, vice-diretor de clima da OMM, à Reuters.

Um dos últimos relatórios climáticos do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), publicado em fevereiro, aponta que algumas das mudanças climáticas que podem ocorrer se o planeta ultrapassar a barreira de 1,5ºC podem ser permanentes, mesmo que a Terra esfrie de volta. Muitos dos recifes de coral do mundo podem ser destruídos e o permafrost de alguns pontos pode atingir um ponto de inflexão, ou não retorno.

“Um único ano de excedência acima de 1,5°C não significa que violamos o limite icônico do Acordo de Paris, mas revela que estamos cada vez mais próximos de uma situação em que 1,5°C pode ser excedido por um período prolongado”, afirmou Leon Hermanson, do Met Office do Reino Unido, à CNN internacional.

O novo estudo foi publicado pouco depois de ondas de calor intensas na Índia, os as temperaturas chegaram na casa dos 50ºC mesmo antes da chegada do verão. Nos Estados Unidos, a temporada de incêndios também chegou cedo este ano, reporta a Scientific American.

Apesar das más notícias sobre o clima se acumularem devido à falta de medidas mais contundentes diante da crise climática, ainda está nas mãos do ser humano decidir até onde irá o nível de aquecimento neste século e o próprio IPCC afirma que ainda é possível cumprir as metas mais ambiciosas do Acordo de Paris. Mas para tanto, precisamos de reduções brutais das emissões de gases de efeito estufa e no uso de combustíveis fósseis.